Quarta, 12 de Junho de 2024 21:22
62 99885-9898
Anúncio
Cidades Estiagem

Falta de chuvas preocupa técnicos do Semae de Rio Preto

Não chove na cidade desde o dia 15 de abril. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a cidade já contabilizou 34 focos de incêndio.

16/05/2024 08h26
Por: Harley Pacola Fonte: Comunicação Semae
Divulgação
Divulgação

A falta de chuva e a chegada da época de estiagem fazem o Semae - Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto de Rio Preto entrar em estado de alerta.

Apesar de a água verter na represa, a última chuva registrada pelo pluviômetro da autarquia foi no dia 15 de abril. Além disso, neste ano, houve uma queda de 57% no volume de chuva. Em 2023, de 1° de janeiro até 14 de maio, choveu 1.056,20 milímetros. No mesmo período de 2024, choveu 604,30 milímetros.

 

A autarquia diminuiu, de modo preventivo, a vazão de captação de água da Estação de Tratamento de Água – ETA Palácio das Águas para 350 l/s, uma vez que o ponto de captação do lago 1, da Represa Municipal, está 3,5 centímetros acima do vertedouro. O lago 3 está 5 centímetros acima do vertedouro. Neste momento, o nível dos reservatórios administrados pela autarquia está normal, não comprometendo o abastecimento da população.

 

O chefe de Captação de Água do Semae, Carlos Fossa, explica que a estiagem pode se prolongar.  “Não há previsão de chuvas em Rio Preto ainda dentro do mês de maio e nos próximos meses. Sem as chuvas, os níveis da represa municipal tendem a diminuir, trazendo dificuldades para o abastecimento da porção da cidade atendida pela ETA. Assim, pedimos a colaboração da população no uso racional e consciente de água. É preciso economizar para permitir que possamos abastecer a toda a população, utilizando as interligações dos sistemas”, declarou.

 

O diretor de Relações com os Usuários do Semae, Leandro Freitas, disse que por conta do aumento na temperatura, o consumo de água do mês de abril de 2024 aumentou em 6,94%, em relação ao mesmo mês do ano passado.

 

“Com as altas temperaturas na região do noroeste paulista, é compreensível que o consumo aumente. No entanto, é importante lembrar que o custo na fatura de água cresce progressivamente com o aumento do metro cúbico utilizado. Portanto, é essencial que os cidadãos de Rio Preto utilizem este recurso valioso com prudência a fim de evitar altos custos na conta final.”

 

Ações necessárias

A autarquia conta com a colaboração dos usuários na gestão consciente dos recursos hídricos. Atitudes simples no cotidiano, como o reaproveitamento da água da máquina de lavar, fechar o registro do chuveiro durante o banho e dar preferência pelo uso de balde em vez de mangueira para limpar áreas externas, são essenciais para evitar a necessidade de implementar medidas restritivas como o racionamento.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.