Quarta, 12 de Junho de 2024 23:13
62 99885-9898
Anúncio
Saúde Recuperação

Após transplante de coração, Ana Lívia é transferida da UTI para o quarto do HCM de Rio Preto

O caso clínico de Ana Lívia ganhou notoriedade porque o doador do órgão surgiu no menor tempo na história do HCM.

20/04/2024 09h08
Por: Harley Pacola Fonte: Assessoria de Imprensa
Após transplante de coração, Ana Lívia é transferida da UTI para o quarto do HCM de Rio Preto

Após 40 dias do transplante de coração que salvou sua vida, a paciente Ana Lívia Prado, de 3 anos, foi transferida da UTI para a enfermaria da CardioPedBrasil® – Centro do Coração da Criança do Hospital da Criança e Maternidade (HCM), de São José do Rio Preto (SP), no interior de SP, na manhã desta sexta-feira, dia 19 de abril.

O caso clínico de Ana Lívia ganhou notoriedade porque o doador do órgão surgiu no menor tempo na história do HCM. Apenas 5 horas após o hospital incluir Ana Lívia na lista de espera pelo órgão, surgiu a doadora compatível, uma menina com a mesma idade, falecida em Cuiabá.


Nesta manhã, à saída da UTI, no colo da mãe emocionada, Ana Lívia mandou beijo e acenou para quem encontrou pelo caminho.

Na recepção do Centro do Coração do HCM, os acompanhantes das outras crianças internadas comemoraram a alta da UTI. A equipe médica esclarece que o tempo de internação dependerá da evolução clínica da paciente. 


É mais uma vitória de Ana Lívia que correu sério risco de vida por ter uma miocardiopatia dilatada, em que o coração é muito maior do que o normal para sua idade, equivalente ao de um adulto. Seu nome foi incluído na lista de espera às 8h30 do dia 8 de março e, às 13h30, a equipe do HCM foi avisada de que havia um doador compatível.


Ana Lívia foi transferida do Hospital Estadual de Bauru para o HCM por ser a CardioPedBrasil® um dos três maiores centros de referência do Brasil e o maior do interior paulista no tratamento de crianças com cardiopatias e demais doenças graves do coração.

Em seus 23 anos de atividades, o Centro do Coração da Criança do HCM, que integra o complexo hospitalar da Funfarme – Fundação Faculdade Regional de Medicina, já operou mais de 6.500 crianças de todo o país e realizou 15 transplantes de coração infantil.


Para viabilizar o transplante a tempo, foi fundamental o empenho da Funfarme em fretar um avião para permitir à equipe do HCM percorrer os 2.000 quilômetros (ida e volta) entre Rio Preto e Cuiabá, onde encontrava-se o doador, a tempo de retornar no prazo adequado para o coração estar condições de ser transplantado.


Foram necessárias apenas 6 horas e 20 minutos para o cirurgião cardiovascular Prof. Dr. Ulisses Alexandre Croti e equipe chegarem à capital mato-grossense, realizarem o procedimento de retirada do coração e retornarem ao HCM para iniciar o transplante.

Às 6 horas da manhã do sábado (10/03), menos de 23 horas depois de Ana Lívia ter sido incluída na lista de espera, o novo coração batia em seu peito.


“Estamos muito felizes porque, mais uma vez, pudemos salvar a vida de uma criança graças ao altruísmo e coragem da família da doadora e à dedicação e profissionalismo das equipes do hospital de Cuiabá e de nossa instituição”, afirmou Dr. Ulisses Croti, coordenador geral do Centro do Coração da Criança do HCM.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.